sábado, 23 de setembro de 2017

Episódio 179- Admirer Voyages !




                         
-Fique ‘a vontade, vai lá !
Anne Paula levantou PIA com delicadeza e a levou para o escritório da Capitã.
Mas não sem antes de ela se virar para Irisa e dizer:
-Eu nunca vou te perdoar pelo que você fez a mim !Nunca !
Anne Paula sentou PIA no sofá e sentou-se ao seu lado, para conversarem a sós.
Enquanto isto, na Ponte:
-Será que fizemos mal?Será que não deu certo?Será que fizemos alguma coisa errada, ou saiu algo errado?Devemos conferir de novo a programação?
No telão, Irisa estava confusa, chocada, surpresa. Mas também triste.Pensava consigo que não deveria ter feito a operação, e começava a se arrepender, achando que fazer a operação teria sido um erro.
Aliás, na Admirer, a reação da tripulação da ponte era toda de surpresa e estupefação com a reação de PIA, mastambém, de apoio ‘a Irisa.
Wendy, coindoída de sua filha virtual, a abraçou e procurou consolá-la. Mais eis que uma colega do Departamento de Sensores lhe chamou a atenção:
-Chefe, os sensores fizeram uma nova descoberta!
Wendy, ao ver que agora Irisa parecia melhor e mais calma, foi olhar na tela, e depois disse:
-Capitã, os sensores detectaram fósseis humanoides em um palneta não-mapeado aqui pertinho, a apenas quinhentos anos luz direto em frente, no nosso curso!

-Huuum, interessante ! Dóris, sair da velocidade Zarp, e diminuir para meia velocidade de dobra. No embalo em que estamos, até chegarmos nesta velocidade já estaremos neste planeta! Stephanie, avise o pessoal da Exploiter que vamos parar um pouquinho neste planeta! Mas me diga, Wendy, me descreva este planeta, por favor!
-Ele tem o diâmetro cinco por cento maior que o da Lua terrestre e é tão árido e deserto quanto. É um planeta anômalo, que, por algum motivo, escapou da gravidade de algum sistema solar, se desgarrou e está vagando ‘a deriva no espaço.Não tem atmosfera, não tem gravidade, não tem minerais comercialmente interessantes, e é gelado, sem nenhum sistema solar por perto.Tem ,a julgar pela datação de suas rochas, seiscentos milhões de anos, e há cinco milhões de anos foi expelido de seu sistema solar, talvez pela explosão de sua estrela,ou a colisão de algum meteorito gigante, mas os sensores indicam que até cinco milhões de anos atrás o planeta tinha atmosfera, ágia líquida, vida vegetal e animal, inclusive uma forma humanoide demonstrada por cinquenta esqueletos fósseis completos, primitivos, mas muito interessante. Acredito que , no entanto, esta forma humanoide não estava ainda em estágio de civilização quando a catástrofe ocorreu.Tudo indica que o estágio cultural deles não ultrapassava o dos Neanderthal terrestres.Há também uma grande riqueza de fósseis animais e vegetais bem interessantes !
-Muito legal !Vamos parar neste planetinha e explorá-lo, extrair os fósseis e coletá-los, para mostrarmos aos pesquisadores na Terra !
-Capitã, já chegamos ao planeta !
-Acionar as âncoras virtuais e colocar motores em regime de órbita padrão, Dóris, obrigada !Monique, manobre a nave para órbita padrão em volta do planeta !
-Sim, senhora, Capitã !
-Stephanie, chame a Lola e a Nádia, quero que participem da expedição !Amber, você liderará a expedição desta vez!
-Sim, senhora !Ah, Capitã, estou recebendo um comunicado da Capitã Valéria para a senhora!
-É privativa?
-Não, Capitã.
-Então coloque na tela !
-Sim, senhora !
A imagem de Valéria apareceu no enorme telão principal.
-Oi, Val, pois não !
-Então, Dina, recebemos a mensagem da expedição a este novo planeta e gostaríamos de participar também !
-Claro, claro, faremos uma missão conjunta !
-Sua expedição seguirá via teletransporte ou por navetas?
-Então, Val, boa pergunta!Eu tinha pensado originalmente no teletransporte, mas como é uma missão paleontológica e terá escavação, pensei melhor e estou achando melhor mandar uma naveta !
-Ah, mas não é mais fácil teletransportar os fósseis e depois osretirar da rocha no laboratório da nave?
-Até é, Val, mas que graça teria?Aí nem precisaria de expedição...as meninas precisam quebrar um pouco a rotina, ter alguma aventura...
-Tem razão! Então vamos fazer o seguinte: manda seu pessoal na naveta primeiro para cá, aí meu pessoal pega carona.Depois da nossa última expedição ficamos em baixa de equipamentos  e veículos externos...
-Combinado, Val !
-Você vai na expedição, Dina?
-Não, encarreguei a Amber para ir para mim!
-Ok, eu vou mandar a Cecília e mais algumas garotas aí. Voc~es tem alguma boa exopaleontóloga?
-Sabe que nem sei...Irisa, esta informação é com você !
-Temos sim,a Dra. Penélope Priskas !
-Então ela será escalada, obrigada, Irisa ! Stephanie,chame a Dra. Penélope e mande ela se juntar ‘a expedição !
-Sim, senhora !
-Então, aqui , a nossa exopaleontóloga é a Dra. Márcia Martinez !Também irei chama-la !
-Ok, Val, eu vou reunir meu pessoal e mandar a naveta para aí então, até mais !
-Combinado, até mais!

(Por Continuar)

Episódio 120-Sensibilidade de Viver:Interlúdio ETP




Mercedes não demorou a chegar na aula, embora chegasse atrasada.
Mas estava difícil suportar tantos olhares reprovadores e tanto preconceito.
No intervalo, quando as duas foram no refeitório, as funcionárias não as quiseram servir, dizendo:
-Não atendemos criminosas !
Lune esboçou reação, pronta a gritar poucas e boas, mas Mercedes a conteve:
-Amiga, não vamos esquentar o clima ainda mais contra nós...só vai piorar a situação. Vamos pegar um lanche na máquina de auto atendimento...
Lune, resmungando baixinho, aceitou o conselho da amiga e lá se foram elas.
Após se servirem de sanduíches e refrigerantes nas máquinas, foram se sentar nas mesas e tiveram uma surpresa:
Assim que escolhiam uma mesa, alguém saia de uma mesa e a ocupava, para não as deixar sentar. Escolhiam outra e faziam a mesma coisa e assim foram indo sistematicamente até não sobrar nenhuma.
Sem terem onde se sentarem, foram saindo, e um pelotão de garotas lado a lado uma com a outra as seguiu e assim que saíram, as meninas barraram a porta, mostrando que não as deixariam entrar novamente.
Lune e Mercedes decidiram então ir para o gramado da faculdade, onde se sentaram no chão, debaixo de uma árvore.
Já estavam no meio de seus lanches, quando foram cercadas por uma muralha de colegas.
-O que foi agora?Podemos comer em paz?
Perguntou Lune, já irritada.
Os olhares, porém eram ferozes, e o silêncio, reprovador.
Uma das meninas deu um chute, fazendo o sanduíche de Lune voar longe.
-Eeeei !O que é isto?
-Cale a boca, assassina, que o próximo chute vai ser no seu queixo !
-Eu não sou assassina!Nos deixem em paz !
Retrucou Lune.
-Nossos advogados provaram para a polícia que a assassina foi a Kotomi, nem estávamos presentes na cena do crime e...
-Cale a boca, estrangeira inferior !Caolha do inferno !
E outra menina deu um chute que acertou o seio direito de Mercedes, que ficou muito dolorido.
-Aaaaaai !
-Escutem aqui, suas fascistas !Não adianta, que  não vamos nos meter em confusão de novo !
Disse Lune, com voz alterada, se segurando para não brigar de novo.
-Já disse para calar a boca, presidiária maldita !
-Ninguém que relincha ao invés de falar irá calar minha boca !
A menina deu um soco na casa de Lune, que teve um corte no lábio inferior, e sangrou.
Lune e Mercedes estavam em pé agora. Vendo que elas iam apanhar feio, e que as garotas não iriam escutá-las, Mercedes pegou na mão de Lune e correu, abrindo caminho com uma cabeçada na barriga de uma das oponentes, e as duas fugiram.
As dez fascistas começaram a perseguição, e as duas correram como o vento até o carro. Elas entraram no carro e dispararam para fora do campus, deixando suas algozes para trás.
-Droga !Droga ! Droga !Como vamos conseguir estudar agora?
-Calma, Lune-san, calma, isto há de passar. Não podíamos brigar, nem agredir a ninguém, se a polícia encanar com a gente de novo, estaremos perdidas, pois já temos antecedentes !
-Ai, eu odeio gente fascista, gente discriminadora, preconceituosa !Nem sei para onde ir...
-Olha, Lune-san, por enquanto vamos para a hospedaria mesmo. Mas talvez tenhamos de nos mudar de hospedaria se a situação continuar assim...pior é que a Reitoria não irá ficar do nosso lado..
-Claro que não, na televisão e nas redes sociais só nos acusam, ninguém noticiou que fomos inocentadas...
-A mídia é ótima para acusar, mas inocentar não dá audiência, não atrai o público, e a mídia sempre teve um viés conservador, fascista, ainda mais aqui no Japão...
-Verdade..dá vontade de voltar para minha cidade e não por mais meus pés aqui...
-Pior, Lune-san, que já já as notícias se espalham por todo o Japão...e pode ter consequências inclusive para sua família toda...
-Podiam pegar a Kotomi logo...
-Sim, mas irão noticiar?Aí é que está!Ela foi muito ardilosa, fez uma armadilha perfeita, muito bem planejada...
-Você tem razão, Mercedes-san, isto foi coisa premeditada e planejada com antecedentes, um plano requintado, e caímos como patinhas...droga, por que a Kotomi tinha de entrar na minha vida?

(Por Continuar)

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Conto: Neanderthal Affair








Neanderthal Affair

Em 1988, a notícia irrompeu como rastilho de pólvora na rede de televisão KNN:
“- E atenção para esta importante notícia: foi descoberta, em uma ilha misteriosa, a setenta quilômetros da costa , quase em frente ‘a cidade costeira de St.Willam, uma colônia de hominídeos Neanderthal, composta por trezentos indivíduos, intocada e distante da civilização. Seu descobridor, Dr. Pierre Le Semble, da Universidade Arquiducal de Freshkforth, filmou e fotografou os exemplares, e agora iniciou-se uma grande corrida entre todas as grandes universidades ksarianas, principalmente a Grão Ducal de St.William, a Ducal de Waggony, a Grão Ducal de Forrest,  e a Ducal de Jameson City, concorrendo com Freshkforth pela primazia da exploração da novidade !”
E de fato, houve mesmo tal corrida e competição. A ilha, que antes nunca foi objeto de interesse por não ter nenhum minério interessante comercialmente, nem potencial turístico, foi invadida por um batalhão de cientistas.
O Exército de Ksares também se interessou e foi chamado a dar apoio ‘as equipes. Poucas semanas depois, doze indivíduos Neanderthal, composto por homens, mulheres, meninos e meninas foram levados da ilha e trazidos para as universidades para pesquisas, onde se fizeram uma bateria de exames médicos para tentar encontrar todas as diferenças médicas entre eles e humanos modernos, especialmente na arquitetura cerebral.
Claro que houve uma enorme controvérsia dentro dos círculos científicos e verdadeiras batalhas de debates sobre se levar os Neanderthal para o seio da Civilização Moderna para utilizá-los como cobaias seria ético ou não.
Também entidades de Preservação Natural e Ambiental também entraram forte no debate, colocando que os Neanderthal deveriam ser preservados e mantidos em seu estágio natural e que o contato com humanos modernos poderia no mínimo lhes aculturar, ou mesmo provocar um genocídio.
Outros alegavam que o contato de pessoas atuais com Neanderthais poderiam ocasionar doenças desconhecidas em ambas as espécies.
No entanto, mais algumas semanas mais tarde, outro pequeno grupo de pessoas Neanderthal foi levado secretamente para ser exibido como atração em um zoológico da cidade de St. Francis, no Estado de Tropical State.
Dias depois, eram exibidos como atração, e parte da Comunidade Científica se revoltou, boa parte dos organismos de Direitos Humanos também, houve alguns protestos, mas a exibição desencadeou um enorme sucesso.
Repentinamente, o tema Neanderthal estava na moda, e a indústria de vestimentas e calçados logo inventou uma modas “Neanderthal” baseada em estereótipos cinematográficos, e a moda “Neanderthal” nestes moldes se propagou como fogo na palha seca.
Alguns meses depois, um novo projeto foi iniciado, igualmente polêmico: mais um pequeno grupo de pessoas Neanderthal foi raptado, desta vez, para tentar “adaptá-lo ‘a vida moderna e se civilizar” .Isto por que uma parcela de gente influente ficava falando que as pessoas Neanderthais também eram humanas, e como tal, não podiam continuar isoladas e tinham direito de serem integradas dentro da sociedade. Claro que também houve uma enorme polêmica e debate acalorado sobre isto.
Alguns pesquisadores, percebendo como pessoas Neanderthal eram inteligentes e aprendiam rápido, trataram de estudar a língua deles e de ensinar o ksarianês (muito parecido com o inglês) moderno para elas, e os colocaram para aprender sobre a sociedade moderna , os hábitos atuais, a tecnologia, etc.
Deste pequeno grupo, um rapaz Neanderthal se destacou: Qaeo Oô (o nome dele original, em neanderthalês) , se mostrou estudioso, aplicado e curioso, e, depois de dois anos de cursos de integração e atualização, adquiriu hábitos e comportamentos modernos, e , a pedido dele próprio, foi para a escola, onde se mostrou aluno exemplar e brilhante,e em 1998, se formava na Universidade Grão Ducal de St. William, no curso de Engenharia Automobilistica. Não demorou, já tinha Mestrado, Doutorado e pós –Doc na área. E, enquanto estudava, ele revelou outro lado de sua genialidade: apaixonado por carros e engenharia, ele não deixara de lado as relações públicas e se aproveitou, inclusive financeiramente, da moda “Neanderthal”  e da fama, e passou a cobrar por entrevistas, palestras e presença em conferências sobre seu povo, sem , no entanto , se politizar. Com isto, ficou rico, muito rico, e a sua fama lhe abriu portas para dentro da Indústria Automobilística, onde  deixou de ser apenas um professor universitário numa universidade renomada da Corôa(onde já ganhava muito bem), para escalar na carreira administrativa das grandes corporações automobilísticas ksarianas. Ele foi convidado a entrar na corporação GWK, primeiro como engenheiro júnior, depois pleno, depois titular, depois chefe de departamento, chefe de setor, depois chefe de toda a área de engenharia e design da corporação, onde adquiriu know how de como fabricar carros e de como administrar, e em 2008, saía de sua carreira vitoriosa na GWK, onde chegou a Coordenador Gral, faltando apenas um passo para se tornar um vice presidente  geral de corporação, e abriu a sua própria corporação de automóveis, a Quastar. Em seus tempos de PopStar, chegou a ser recebido pelo Presidente de Ksares na Casa Azul, e pelo Rei de Ksares no Castelo Real, na cidade de Ksares.
Bom, isto era o que o público sabia dele. O que o público não sabia dele é que ele e sua família sofreram por diversos anos  de intenso preconceito popular, de vizinhos a colegas, a consumidores. Chamado muitas vezes de macaco, troglodita, ele  sofreu muito, e sua também sofreu bullying e boicotes em tudo nas suas vidas.Era muito criticado inclusive por não denunciar o massacre que se impunha ‘as pessoas Neanderthal da ilha, e também, ‘as pessoas Neanderthal que haviam se reproduzido e tinham sido criadas dentro da sociedade moderna ksariana.
Ele era muito usado, pelas indústrias em geral, pelos políticos e pela imprensa, como exemplo de meritocracia que tinha dado certo, mas o que ninguém revelava é que Qaeo Oô fazia parte de uma elite, uma exceção, apenas dois por cento das pessoas Neanderthal aculturadas e integradas na sociedade deram certo e subiram de vida e obtiveram sucesso, nenhuma delas chegou, no entanto, ao ponto em que Quaeo Oô chegou. Muitos faleceram, assassinados, de doenças, outros entraram para o submundo das drogas e crimes, outros foram internados em hospícios e enlouqueceram.
Quaeo Oô na verdade não era um gênio, era um ingênuo que fora usado e enganado por gente poderosa, que fez a fortuna dele enquanto ele se mostrou útil  para elas, para depois ser cruelmente descartado.
A verdade começava a aparecer: surgiram movimentos fascistas de intolerância anti-Neanderthal, que queriam expulsá-los da sociedade ou mesmo exterminá-los, e uma enorme campanha bancada pela Extrema Direita   foi feita, para difamá-los e colocar a população contra eles: as campanhas “Não mais Neanderthal entre nós”,  e “Uma Só Humanidade”, ganharam força, e nas ruas começaram a se ver milícias não-oficiais caçando pessoas Neanderthal nas ruas. O próprio Quaeo Oô sofrera vários atentados contra sua vida e muitas ameaças de morte,apesar de parte da sociedade considera-lo um gênio.
Foi quando estas campanhas começaram a boicotar os produtos da Quastar, que entrou numa crise financeira violentíssima, e acabou fechando as portas.
Acusaram então Quaeo Oô de fraude e escândalo financeiros, e de corrupção, e ele enfim foi preso. E uma vez na cadeia, os presos foram ferozmente para cima dele. Apesar de muito forte, musculoso, ele sucumbiu a mais de trinta homens surrando-o, e faleceu pobre, anônimo, esquecido, em 2014.
Em 2015, veio a notícia: o último Neanderthal aculturado falecera, assassinado, e na sua ilha natal, no ano seguinte, falecia, também assassinado, o último Neanderthal, povo que, por fim, passara por sua segunda extinção.
Nos jornais e revistas, nenhuma linha. Na televisão, nada também. Nas redes sociais, idem. Neanderthal não era mais moda faz tempo. Passara e fora esquecida. A vida enfim, voltava ao seu “normal”...


FIM

Cristiano Camargo