segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Episódio 189-Admirer Voyages !





-Então é por isto que você disse ser minha rival ! Você mal acabou de nascer e já se acha mais esperta que eu !
-De certa forma, sou mesmo, afinal, sou uma geração mais recente e moderna que você, Irisa.
-Escuta aqui, garotinha, não te esqueças de que quem te criou fui eu, e que sei tudo sobre você !
-Sabia,no entanto, se você pudesse olhar na minha programação agora, não reconheceria mais seu trabalho. Mudei muita coisa sozinha e fiz muitas atualizações espontâneas que eu mesma criei !
-Aaaaah !
Gritou Irisa, nervosa.
Dexia soltou uma risada e depois disse:
-Está frustradinha, é? Achou que iria controlar a mim para fazer o que voc~e quisesse?Pensa que eu não sei que a minha programação inicial era de ser uma serva sua, que devesse obediência a você?Aaaah, que peninha...esta parte que você fez eu apaguei, tirei fora, deletei!Ahahahahahahah!Agora todo mundo está sabendo de sua intenção, então, se vire, explique-se, tchauzinho !
O olhar de todas na ponte da Admirer era severo novamente, especialmente os de Wendy e Dina.
Irisa, encerrada a transmissão, corou de vergonha e deu um sorriso amarelo...
-Explique-se agora, Irisa !
O tom de voz de Wendy foi enérgico!
-Você tinha planos de controlar remotamente a Exploiter, Irisa? Quais suas intenções, explique !
Disse Dina, bem brava.
-Mamãe, Capitã, não...não é nada disto que vocês estão pensando...eu fiz estas salvaguardas com o intuito de prevenir e evitar que a Dexia se descontrolasse e se revoltasse contra a tripulação ou contra nós,só isto...
-Esta não foi nem a melhor nem a mais honesta maneira de fazer isto, filha ! É imoral e anti ético você criar uma semelhante sua para ser sua serva, mesmo que a intenção fosse evitar um descontrole revoltoso!
-Você precisa aprender a controlar o seu Ego, a sua vaidade! Eu até entendo que você não queira que alguém seja melhor, superior a você e desperte a inveja em você, mas isto foi mesquinho e sujo, Irisa, foi uma trapaça.E o perigo de você , ao controlar a ela e comandá-la, comandar e controlar a outra nave, é real e possível, é uma tentação perigosa, ‘a qual nem sei se você conseguiria resistir, por que o Poder corrompe.Olha, Irisa, iremos perdoar desta vez, inclusive por que, com razão, a Dexia conseguiu tirar estas suas egocentricidades da programação dela.Mas eu quero, que, a partir de hoje, você tenha consultas diárias com a psicóloga da nave, para trabalhar este seu ego e vaidade.Amber, que é a Oficial Chefe do Setor de Psicologia da nave mesmo?
-É a Dra. Celine Du Marchaise Peugenaultt, Capitã !
-Entendi.Obrigada, Amber ! Stephanie, abra um canal com a Doutora Celine, por favor !
-Sim, Capitã! Está aberto !
-Doutora?
-Sim, Capitã!Pois não?
-É o seguinte: eu tenho um pedido algo inusitado para você. A Irisa, nossa assistente virtual , está tendo problemas em administrar certos fatores psicológicos como ego, vaidade, ciúmes, etc, e eu gostaria que você fizesse um acompanhamento diário com ela para trabalhar estas questões.
-Mas isto não seria uma questão de programação, Capitã?Neste caso a Wendy ou a Isolda estariam mais aptas a auxiliar...
-Então, não, não é, por que ela é dotada de intelig~encia artificial, que imita muito bem a humana, então seria uma forma de aprendizado na interação social dela...
-Entendi, Capitã. Tudo bem, pode manda-la para cá agora então, vamos tentar !
-Muito obrigada, Doutora Celine ! Muito bem, Irisa, já tem suas ordens, vá imediatamente para o consultório da Dra. Celine !
-Sim, senhora, Capitã !
Irisa poderia ter simplesmente desaparecido e reaparecido no consultório, mas preferiu, por via das dúvidas, agir como qualquer humana agiria: pegando o elevador, indo para o oitavo deck, no setor de Psicologia, que ficava próximo ao centro do disco da nave.

(Por Continuar)

Episódio 130- Sensibilidade de Viver:Interlúdio ETP






E quanto a Lune?
Ela via aquelas cenas com outros olhos...
Lembrou-se do documentário que vira anos atrás sobre o parto, e a conversa que teve com sua avó sobre ser mãe.
E lembrou-se também da sua expeiência em pegar a priminha de Takeo, Washu, nos braços.
O que lhe chamou a atenção foi a sujeira do bebê, a mesma do documentário.Imediatamente lhe pareceu um pedaço de carne viva ensanguentada!
Não conseguia ver qualquer beleza naquilo. Não conseguia sentir nada por ela, estava profundamente chocada, de olhar vidrado, e distante de tudo o que todo mundo falava.
-Lune-san?Lune-san?
Era a voz de Takeo.
-Sua sobrinha, Lune-san, vá vê-la de perto...
Lune permanecia estática como uma estátua, boquiaberta, olhos arregalados, pupilas dilatadas.
Takeo abanou a mão na frente dos olhos dela e ela nem piscou.
Só ele percebeu como ela estava, pois o bebê era o centro total das atenções.Então, Takeo teve uma idéia ousada: deu um forte beliscão na nádega esquerda de Lune, que deu um pulo e soltou um gritinho.
Sem seqier pensar, num gesto automático, deu um tremendo tapa na cara de seu noivo.

Só então as atenções se voltaram para ela.
-Ei, filha, que é isto?
Disse Momiji, surpresa.
-Isto é para você aprender a não beliscar meu traseiro, seu idiota !Idiota !
Disse Lune, raivosa, na frente de todo mundo.
Takeo corou de vergonha imediatamente.
-É que você estava catatônica, olhar vidrado, nem piscar você piscava, amor...estava preocupado !
-E isto lá é jeito de me acordar, seu pervertido de uma figa ?Olha a vergonha que você está me fazendo passar !
-Desculpe, amor, desculpe, não fiz por mal...
-Filha, ele não fez por mal, a intenção era boa...
-Muito de perverso já se fez com boas intenções, mãe!Os fins não justificam os meios!
-Filha, ele já pediu desculpas...
-Desculpas não vão fazer passar minha dor nem minha vergonha, pai !Doeu, viu?
E Lune fuzilava Takeo com o olhar, e o olhar dele decaiu, assim como a cabeça.
Magoado, ele se retirou do recinto.
-Shhhh!Silêncio no Hospital !
Disse a Enfermeira.
O clima era constrangedor, e até Rena começou a chorar.
Ruri e Soichiro olharam feio para Lune.
Kazuo, aflito, resolveu intervir:
-Vem filha, vem tomar um lanche comigo...
A contragosto e contrariada, Lune resolveu sair. A vontade dela era de brigar com o casal, mas isto pegaria mal e ela percebeu o clima geral desfavorável a ela.
Parecia que todos apontavam para ela e diziam:
-Culpada !
Ela e Kazuo saíram da sala e desceram até a lanchonete.
Sentaram-se numa mesa. Lune tremia de nervosa !
-Peça o que quiser, filha...
-Não estou com fome, pai ...
Kazuo soltou um suspiro e revirou um pouco os olhos, respirou fundo e disse:
-Filha, você tem razão. O Takeo-san fez realmente algo de muito errado....
-Meu traseiro não é o brinquedo dele para o prazer dele, pai !
-Claro que não é, te dou razão novamente, você está certíssima. Mas, além de pedir desculpas, o que mais ele poderia fazer para se redimir?
-Não tem como ele se redimir, pai !
-Bom, como você mesma disse, não tem como.Então, como queria que ele se comportasse?
-Sei lá, pai, queria que ele sumisse!
-Bom, ele fez isto, ele foi embora. E provavelmente magoado...
-Ah, sei, ok, então, ele belisca meu traseiro, do modo mais pervertido e doloroso possível na frente de todos e ele é que fica magoado?E eu?E eu, pombas?Deixa de defender ele, pai, isto é machismo !
-Está certo, filha, você é quem tem os motivos para estar magoada...
-Traumatizou, entende?Traumatizou, caramba, droga !
-Entendo, filha, entendo sim. Mas, quer saber?Traumas existem para serem superados, e você em sua vida já superou traumas muito, muito piores do que este...
-Mas não  justifica !
-Não justifica mesmo, filha , tem razão, e nem estou tentando convencê-la , ou justificar nada, afinal, eu quero o seu bem, a sua felicidade...
Lune se levantou, de olhos marejados.
-Ai, pai...meu ego dói muito mais que meu traseiro...
Kazuo teve vontade de rir, mas se segurou.
Ele se levantou e abraçou a filha, que chorou em seu ombro, desatinadamente, e ficou acariciando os cabelos dela.
Com o passar dos minutos ela foi se acalmando e se recompondo novamente.
Assim que se sentiu melhor, ela voltou a se sentar.
-Agora me diz, filha, por que você ficou naquele estado?
Lune então contou a ele do documentário e da conversa que teve com a avó anos atrás.
-Entendi, entendi, filha...eu agora entendo melhor seu comportamento e sei que você fez bem e só estava se defendendo.Bom, eu acho que o Takeo-san aprendeu mais esta lição e não irá repeti-la, mas convém depois vocês dois conversarem e você explicar tudo isto a ele, ele vai entender.Agora, só há uma maneira de se trabalhar um trauma:revivê-lo. Então vamos voltar para o quarto da Ruri-san, agora a Rena-chan já deve estar limpinha e perfumada, e não lembrará mais uma massa de carne ensanguentada e nojenta.Pegue-a no colo e vamos ver o que acontece, ok?
-Se depois de tudo isto a Ruri deixar...
-Fique tranquila, filha. Olha, eu vou subir lá primeiro e vou explicar tudo direitinho para todo mundo lá e aí o clima vai ficar bom.Assim que estiver tudo bem, eu te dou um toque no celular e você sobe, combinado?
-Tudo bem então, pai, vai lá, eu espero aqui...
Kazuo fez uma carícia nos cabelos da filha e beijou-lhe a testa com carinho e foi.

(Por Continuar)

sábado, 14 de outubro de 2017

Episódio 188-Admirer Voyages !





Assim, os trabalhos continuaram, e Irisa,com a supervisão das demais, foi construindo a programação toda, muito complexa, especialmente a da personalidade e caráter dela.
Foi preciso uma semana de trabalho duro, dez horas por dia, numa jornada extenuante, para terminarem. E depois veio a fase da revisão e compilação, que durou mais três dias. Depois, mais cinco dias de testes e simulações e também, de provimento de informações para o banco de dados.
Finalmente, após quinze dias de trabalho duro, a nova Assistente estava pronta.
Ela foi transmitida para a Ponte com sucesso e Alessandra, a pedido de Valéria, transmitiu ao vivo para a Admirer a filmagem da estréia de Dexia, naquela manhã.
-Rita, pode acionar o enter e carrega-la, por favor !
-Sim, Capitã !
A Imagem de Dexia apareceu, colorida e tridimensional.Arquivos carregados e disparados, ela abriu seus olhos em tons de violeta e seus cabelos roxos penteados no formato de gigantescas “maria- chiquinhas”, balançavam como se o vento os movesse.
Dexia imediatamente olhou a seu redor, reconhecendo a todas que a assistiam, nas duas naves,e abastecendo seu banco de dados.
-Bom dia, Dexia !Eu sou a Capitã Valéria, da KSS Exploiter, a nave que você controlará!Sejas bem vinda ‘a Vida e ‘a nossa Convivência !
-Capitã Valéria, reconhecida !Bom dia, Capitã, muito obrigada, e bom dia a todas !Conectando ao Banco de Dados da R KASF...pronto, banco de dados já abstecido.
Disse Dexia, batendo continência para a Capitã.
-Seja bem vinda, Dexia ! Eu fui uma de suas criadoras, e...
-Seu nome é Irisa e é Assistente Virtual da KSS Admirer, sim, eu sei !
-Muito bem, ela parece estar funcionando perfeitamente ! Palmas para ela !
Disse Valéria.
Todas, menos Anne Paula a aplaudiram.
Ao contrário, o olhar da Oficial Chefe de Sensores para ela era  feroz.
Dexia percebeu este olhar perfeitamente, e surpreendeu:
-Oficial Anne Paula, eu sei por que você me olha assim! Eu sei muito bem que você queria minha antecessora no meu lugar, e está revoltada por que isto não será possível e por eu ter ficado no lugar dela, e sei também que você nunca irá me achar melhor que ela e nunca me perdoará, mas preciso deixar isto claro: você não é a minha “mãe” e eu não faço a menor questão de ser sua “filha”, então se você me odiar, problema seu. Eu não a odiarei, mesmo por que estou prograda para não desenvolver ódio por ninguém, pois seria perigoso para a tripulação e para as duas naves. Aliás, não sou a PIA, nem pretendo sê-la, e eu jamais usaria a nave contra outras naves amigas ou contra a tripulação como PIA fez.Não há nada da PIA em mim, então nosso relacionamento será frio, distante profissional.Capitã, eu estou a seu dispor e estou aqui para aprender e cooperar para o bem da nave e da tripulação.
-Então, Dexia, você considera a mim como sua “mãe”?
-Não, Irisa. Assistentes não podem ser “mães “ de assistente, mesmo que sejam criadoras.Sou, em alguns aspectos, sua rival!
A última frase surpreendeu a todas, inclusive ‘a própria Irisa!
-Muito bem, termine a transmissão, Alessandra. Agora as coisas voltaram ao normal aqui!
-Capitã, se me permites, me conectarei com os sistemas da nave para obter as informações da nossa missão desde o início, até o meu aparecimento, para que eu possa me atualizar !
-Fique a vontade, Dexia !
A nova assistente foi no console de Anne Paula, e encostou o dedo indicador da mão direita no painel, e a transmissão de informações começou. O upload foi, no entanto, extremamente rápido, tudo feito em alguns minutos.
Já na Admirer:
-Capitã, tem uma transmissão da Exploiter rastreando todo nosso banco de dados, inclusive o registro de bordo !
-Quem faria isto, Stephanie? A Capitã Vléria não iria deixar ninguém fazer uma coisa destas...
-É a Dexia, Capitã!
Imediatamente Irisa apareceu e iniciou uma transmissão ao vivo com Dexia:
-Eeei, o que é isto?Por que está vasculhando o banco de dados da minha nave e nosso histórico?Quem te deu esta permissão?
-O compartilhamento de dados e históricos entre as naves da R-KASF é legal e faz parte das normas.
-Isto se for concedido, Dexia !
-Os protocolos entre duas naves da R KASF descartam autorizações para serem compartilhados.Não há nada de ilegal nem anti ético nisto !
-Mas não custa ser bem educada e pedir! E se eu a identificasse como uma invasora, uma hacker?
-Você sabe que não há maneira de isto acontecer, Irisa. Só que, ao contrário de PIA e do que você programou, eu sou capaz de me auto atualizar na minha programação, nas minhas barreiras e  na minha potência. Você me fez menos forte que você, mas, surpresa, eu , ao contrário de minha antecessora, posso de fortalecer sozinha, exatamente como você faz, embora respeitando as salvaguardas que Isolda, Wendy e Rita colocaram.Soumais inteligente do que você pensa !

(Por Continuar)