quarta-feira, 24 de maio de 2017

Episódio 90-Admirer Voyages!





Dina e Amber já iam a caminho de seus quartos, quando deram de cara com o restante da tripulação da ponte chegando.Todas nuas, todas molhadas e ofegantes da correria.
Elas se entreolharam e...começaram a rir, nervosamente!
Enfim Dina contou o ocorrido e mandou todo mundo voltar a seus quartos.
-Filha, venha ao meu quarto, que vou ter uma conversa séria com você enquanto me arrumo !
Disse Wendy.
-Sim, Mamãe...
Pouco depois, já no andar de baixo, nos aposentos de Wendy, bem na parte da frente do disco, As duas entravam nos aposentos da Oficial Chefe de Sensores.
Com frio por causa do ar condicionado, Wendy entrou no banho, e Irisa ficou pacientemente esperando em frente ao janelão panorâmico do quarto, olhando as estrelas e a frota estacionada ali perto.
Finalmente Wendy saiu, se enxugou, colocou sua lingerie, se sentou na beira da cama e pediu para que Irisa se sentasse ao seu lado, de frente para ela.Olhou-a nos olhos, suspirou e disse:
-O que eu faço com você, Irisa?Me diz?Eu bato em você?Te formato?Te limito?
O o olhar da assistente virtual era igual ao de um cachorrinho levado que apronto, sabe que aprontou e sabe que vai apanhar. Ainda assim, lágrimas caíam de seus olhos, e ela desviou o olhar, corada de vergonha.
-Me perdoa...
Irisa balbuciou , com voz trêmula.
-Você tem idéia da gravidade do que você fez hoje?Você tem idéia das consequências de uma nave terrestre atacar outra nave terrestre?Voc~e tem idéia, Irisa, de que se você fosse humana, você pegaria coorte marcial e poderia ir para no Planeta Prisional, de onde ninguém nunca voltou, via ou morta, até hoje?Você tem noção do tamanho de sua irresponsabilidade e inconsequência, heim, Irisa? Voc~e tem idéia do tamanho da vergonha que nos fez passar?Você tem idéia de que dezenas, centenas de vidas poderiam ter perecido nesta sua aventura louca?
-Eu...eu...
-Nem precisa responder. Claro que voc~e tem. Está tudo aí, todas estas informações constam no seu banco de dados.Ainda assim, você fez...Ali, no telão do meu terminal. Expanda-o e me mostre toda a gravação do incidente, agora.
Irisa mostrou, e todo o diálogo se passou desde o começo.Wendy o assistiu pacientemente, para depois falar:
-Ah, Irisa...eu entendo que você se sinta solitária e tenha querido apenas conversar com sua nova amiga. E que foi ela quem subiu os escudos e engatilhou as armas dela primeiro, e que você subir nossos escudos e engatilhar nossas armas foi uma reação automática, pré programada, algo que mais ou menos corresponde a nosso instinto de sobreviv~encia, algo sobre o qual nem você mesma tem acesso nem controle, por questões de segurança, tão automático quanto o alarme do Alerta Vermelho. E pude perceber que , no fundo, voc~e não queria ter de ataca-la, muito menos ter de se defender, e de certa forma, procurou proteger a nave e nossa tripulação.Mas faltou, de sua parte, a noção do quanto Pia é limitada, e do quanto é perigoso provocar esta limitação, sendo que esta provocação pode ser interpretada por ela como uma agressão, um ato de guerra. E voc~e provocou ao interferir eletronicamente nos sistemas da nave dela, e tentar força-la a conversar com você mesmo contra a vontade e a programação dela. Deixa eu te dizer uma coisa, filha: sabe, a gente não pode forçar as pessoas a gostar da gente, a gente não pode forçar as pessoas a serem nossas amigas, a gente não pode forçar as pessoas a conversar com a gente.E sabe por que? Porque as pessoas tem direito de não gostarem da gente, de não serem nossas amigas e de não conversarem conosco.Assim como ela reagiu de modo agressivo, se fossem duas humanas fazendo a mesma coisa, as duas poderiam brigar fisicamente, saírem machucadas ou até morrerem.Então , você fez mal em tentar obriga-la a fazer o que você queria, você agiu de forma nada democrática e tirana, mas sobretudo, você a desrespeitou.Sim, eu entendo sua ingenuidade, entendo que você está ainda aprendendo a lidar com as pessoas, a se comportar, e eu não seria uma boa mãe se não a ensinasse estas malícias sociais da vida, as regras sociais que pautam as pessoas.Você realmente merece ser punida, mas você é imprescindível demais para nós nesta nave, mas, por favor, não abuse disto. Hoje você errou, mas procure hoje aprender com seu erro, para que ele nunca mais se repita.Você me pediu perdão.Tudo bem, eu vou perdoá-la ainda uma vez. Só não pense que eu vá ficar perdoando tudo o que você fizer de errado.Não irei. Definitivamente não irei. Hoje eu estou a perdoando pois vi que seu erro foi fruto de sua inoc~encia, ingenuidade e imaturidade,mas não foi intencional. Agora me dê um abraço, filha !
Irisa a abraçou, e chorou as cântaros no ombro da mãe, que esperou pacientemente ela se recompor, enquanto acariciava seus cabelos e costas com ternura.
Também Wendy estava de olhos rasos.
Quando finalmente se recuperaram, Wendy disse:
-Vou voltar para a Ponte daqui a pouco , vou primeiro terminar de me arrumar. Volte para dentro do terminal da Capitã e espere lá até ser chamada.Pode ir, está dispensada.
E Irisa desapareceu.
Não demorou, Wendy  já pronta, ia para o elevador, para voltar para a Ponte de Comando.

(Por Continuar)

Episódio 37-As Piratas também Sonham:Armada !





-Assim que gosto. Ah, há um outro detalhe fundamental para que aceitemos sua cooperação: que a senhorita se deite comigo esta noite.
Algo surpresa, Terror, pensando na fortuna que receberia, aceitou.
E dispensou seus piratas , indo, após o jantar na taverna, para a Estalagem onde o Lorde estava hospedado.
Quando a porta se trancou, e as velas se apagaram, a Capitã Terror se desnudou completamente e deitou-se em cima de Lionskull, e beijou-o na boca.
Logo estavam fazendo amor, atividade que durou até o amanhecer. Só então ela se vestiu e foi embora, deixando um Lorde exausto e exaurido, mas também extasiado de tanto prazer.
Ela voltou ao seu navio, e atrás dela, vinha a carroça com os soldados, trazendo o ouro prometido.
Os soldados se afastaram e foram embora, e os piratas embarcaram o ouro no navio.
Não demorou, e eles zarparam, e depois deum pouco de navegação, encontraram o inusitado: A Armada Inglesa !
O navio pirata se alinhou no meio dos navios militares, que não o importunaram.
Poucos minutos depois, a frota de cinquenta e um navios partiu !
Porém, os piratas estavam se sentindo inseguros, ao lado de tantos navios inimigos, e um deles disse para o outro:
-Acho que nossa Capitã cometeu um grande engano ao nos juntar a eles.Penso que estamos caindo numa armadilha. Uma armadilha sem volta, uma armadilha em que a Morte nos espera...
-Também tenho a mesma sensação...
Disse o outro, de testa franzida, preocupado.
Ainda bastante longe dali, no entanto, navios e mais navios piratas começavam a chegar a Maastritch.
E a cada vez chegavam mais e mais, de todas as direções.Era um espetáculo grandioso de ver !
Nunca antes tantos navios piratas tinham sido visto juntos!
Um dos que chegavam era o Barracuda Feliz.
-Terra ‘a vista !
-É Maastritch, com certeza , Denise!
-Não tenho dúvidas, Capitã, estou vendo dezenas de navios piratas lá, todos reunidos !
-Muito bom! Elise, muito cuidado agora, vá manobrando entre os navios ,tomando cuidado para não bater neles.
-Sim, Capitã !
-A senhora não fica com medo de tantos homens por perto e sermos a única tripulação feminina aqui?
-Não, Lorena. Não estamos aqui para sexo. Estamos aqui para a guerra. Depois, logo a June e a Agusta estarão juntas conosco.
-Assim espero. Mas mesmo com a presença delas, serão tr~es tripulações contra dezenas de outras, se eles resolverem nos considerar as prostitutas deles, coisa que a senhora sabe, não é difícil...
-Aí lutaremos até a morte, se for preciso. Mas vamos pensar no melhor, certo, Lorena?
Neste meio tempo, no Merry Sawfish, ainda distante de lá, Jéssica soltou um brado clássico:
-Navio ‘a vista ! É presa !
-Que ótimo !Que tipo de navio é, Jéssica?
-É um pequeno galeote, Capitã, acho que se tiver dozes canhões é muito, e é francês !
-Muito bom, vai ser um excelente exercício para nossa tripulação. Garotas, a seus postos, postos de batalha !
A presa, de fato, era um pequeno navio mercante, que tinha pouco mais da metade do tamanho do Merry Sawfish. Seu capitão era Pierre Bison, marinheiro experiente, de longa carreira. Porém, naquele mesmo dia, após longa agonia, ele morrera de febre tifoide, e quem o substituíra na capitania era seu imediato, um rapaz jovem e inexperiente, Etienne Taunaseur,  e que estava em seu primeiro dia como Capitão. O rapaz, com pouco mais de vinte anos, era um sobrinho do antigo Capitão, e que ainda estava sendo treinado, mas que não tinha absolutamente nenhuma experiência com enfrentamentos de piratas. E para piorar, metade da tripulação estava doente, sem condições nem para tocar o navio direito, muito menos combater.
E foi nestas condições miseráveis que o navio Le Deperdoussin se encontrou com o Merry Sawfish .

(Por Continuar)

terça-feira, 23 de maio de 2017

Episódio 36-As Piratas também Sonham:Armada !





Mais um dia se passava, e , atendendo ‘a conclamação de June, dezenas de navios piratas estavam rumando direto, e ao mesmo tempo para as Ilhas Maastritch.
Inclusive os navios de Agusta e Ariadne, todos a caminho do grande encontro.
Mas havia uma exceção: A Capitã Terror !
Esta até ficara sabendo do que estava acontecendo, e do perigo que seria encontrar a Armada Inglesa. Mas sua obcessão era mesmo encontrar e matar June Ashton.
Por todos os portos onde parava, perguntava por ela, mas até agora não a encontrara.
Então, naquela tarde, seu Imediato a indagou:
-Capitã, nós vamos participar da Batalha da Armada Inglesa?
-Claro que não !Você acha que eu iria participar de uma batalha liderada por minha inimiga?Juntar forças com ela?Enlouqueceu?
-Mas Capitã, está todo mundo indo lá nas Ilhas Maastritch !
-E daí?Não sou todo mundo ! Por que todo mundo vai, tenho de ir também?
-Mas e se encontrarmos a Armada sozinhos? Não seremos páreo para cinquenta navios militares...
-Não precisamos ser páreo para eles. Podemos nos juntar a eles.
-Nos juntar a eles?Contra os outros piratas?Mas isto não seria traição?
-Não quando podemos nos vingar de quem queremos e ainda recebermos uma vultosa paga por isto, Imediato.
-É por isto que estamos indo para a Ilha Messelman?
-Exatamente.Lá vamos nos encontrar com a tripulação do navio Bringhton.O Almirante Newton nos espera, juntamente com Lord Lionskull, para negociarmos. Se tudo der certo, receberemos trezentos quilos de ouro, com promessa de mais trezentos depois da vitória. E aí nos juntaremos e faremos parte da Armada Inglesa, contra outros piratas.
-Pode ser uma armadilha, e ao chegarmos lá, sermos presos...
-Os Ingleses tem a honra que não temos, Imediato. Eu não sou estúpida de cair numa armadilha. Eles sabem que somos uma adição valiosa para eles.Agora chega de conversa! Comece os procedimentos de aportagem, que já estamos chegando a nosso destino !
De fato, pouco depois, já não faltando muito para o anoitecer, o navio da Capitã Terror chegou na ilha e aportou. Apenas a Capitã, e dez de seus melhores piratas desembarcaram.
Logo chegaram a uma taverna, onde os dois ingleses, com diversos soldados em outra mesa, os esperavam.
-Aaah, Capitã Terror, eu presumo !
-Sim, sou eu mesma, e o senhor é o Almirante Newton, a julgar por suas roupas.
-Sim, isto mesmo. E este, envolto em uma capa e um capuz, é Vossa Excelência Lord Lionskull ! Por favor, sente-se conosco !
A Capitã Terror sentou-se na mesa , ‘a frente deles.
O Lorde então tirou seu capuz. Tinha cabelos muito pretos, compridos, e profundas olheiras negras, em um rosto bastante enrugado. Tinha uma enorme cicatriz em forma de cruz no lado direito do rosto, e tinha um bigode espesso, que caía para os lados  da boca, e saíam para fora da linha da mandíbula. Suas sombrancelhas negras eram unidas uma a outra e muito espessas, formando um farto “bigode” acima dos olhos. Tinha queixo quadrado e duplo, e era um homem muito alto e tremendamente musculoso. De sua cintura, pendia uma espada no melhor estilo medieval, e, escondidas nos bolsos do casaco, pendiam duas pistolas de pederneira.
Acostumada com seus piratas, porém, Terror não se intimidava com homens feios.
-Então a senhorita está disposta a vir para o nosso lado e trair seus companheiros...como vês, vou direto ao ponto !
-Sim, MyLord!Desde que um tratado vantajoso para ambos os lados seja por nós celebrado hoje !
- Entendi. Almirante, mostre a ela a primeira parte de nossa recompensa!
-Sim, My Lord !
O Almirante  fez um sinal, e alguns dos soldados saíram da taverna, e logo uma carroça parou em frente da entrada.
-Pode ir conferir se quiser, Capitã !
Terror se levantou, foi até a carroça e levantou o pano que a cobria: ali estavam uma montanha de barras de ouro puro, brilhando, o que fez os olhos dela brilharem intensamente e sorrir.
Ela então voltou para a mesa.
-Muito bem, parece que você gostou de nossa oferta.Almirante, por favor, discorra sobre os detalhes de nossa operação e o que queremos que seja a parte dela.
-Pois não, MyLord!
E o Almirante explicou tudo em detalhes.
-Muito bem, negócio fechado, Excelência !
E Terror estendeu sua mão para Lionskull, que apertou a mão dela com uma força descomunal. E ela revidou.

(Por Continuar)