quarta-feira, 4 de maio de 2016

Capítulo 6-Minissérie: Adora- Alguém como você



Exasperada, ela foi na Diretoria, disse que ele se trancou lá e que achava que ele não saberia abrir a porta por ser Autista e tanto panpelo fez que convenceu a Diretora a chamar a Polícia.
Ela ficou chorando de aflição até os policiais chegarem, e eles já estavam prestes a arrombar a porta, quando a maçaneta se mexeu.
A porta se abriu e Damian apareceu, sem ter a mínima idéia do que estava acontecendo, por que aquele escândalo todo, e o que era aquela multidão de alunos, professores e funcionários ali, sem falar nos policiais. No fim, as atividades da escola inteira tinham sido paralisadas só por que ele tinha ido ao banheiro !
-Está vendo, Professora? Precisava fazer este escândalo todo? Ele sabe abrir portas sim, claro que sabe, ele não é nenhum idiota mental para não saber girar uma chave e uma maçaneta !Ele é autista, não é burro !
Disse Jeane para Adora, chocada e morta de vergonha.
-A menina tem razão, moça. Bom, acho que não temos mais o que fazer aqui, com licença !
Disse um dos policiais.
A multidão se dispersou, todos olhando feio, com olhar de reprovação para Adora, que se sentia como se fosse esmagada pelo peso colossal dos olhares acusadores de todos sobre ela.
E lágrimas saíram de seus olhos.
Que deram de cara com o olhar doce e tranquilo de Damian, que lhe sorriu, e apontou na direção do Girassol, ao longe.
-Eu... eu errei com você outra vez, Damian, desculpe, desculpe...ai...só você mesmo para me acalmar, me fazer sentir bem...
Ele , com um dos dedos da mão esquerda, delicadamente limpou os olhos dela, depois fez um gesto de cruzar os braços na frente do peito, como se abraçasse a si mesmo.
Vendo que Jeane já tinha ido embora, Adora o abraçou, enternecida. Logo bateria o sinal do fim das aulas e ela foi embora.
Damian entrou no ônibus escolar e voltou para casa.
Enquanto isto, Adora percorria as ruas da cidade, Jameson City, a bordo de seu carro voltando para casa.
Ela pensava consigo mesma enquanto dirigia:
-Eu disse para mim mesma e para todo mundo que acreditava no potencial e na capacidade do Damian, e no entanto, fui incapaz de acreditar que ele fosse capaz de girar uma simples chave e uma maçaneta, eu o subestimei, subestimei a inteligência dele feio, oras, a Jeane tem razão, ele é Autista, não é burro, e eu não tinha motivos para acreditar que ele não pudesse sair de lá sozinho. Será que no fundo eu esteja tentando me convencer  de que acredito no que ele é capaz, mas na verdade eu não acredite? Será que é nisto que eu esteja errando? E a questão daquele desenho? Puxa, ele deve ter se esforçado muito para desenhar aquele girassol para mim, e deve ter sido muito frustrante os garotos terem destruído o desenho dele, que devia significar muito para ele, até aí eu entendo, mas por que ele recusou e ficou bravo com a Jeane quando ela juntou o desenho e colou para ele e o entregou de volta?Bom...pensando bem, quando a gente quebra uma xícara, e a cola de novo, ela ainda é a mesma xícara, mas ela nunca mais fica igualzinha a como era antes...ele pode não ter reconhecido o desenho como dele depois de colado, pode ter achado que ela se apossou de um desenho que era dele e não queria lembra que já tinha sido rasgado antes, afinal a xícara consertada sempre fica com suas cicatrizes, por assim dizer. E se ela é importante para a gente, já não é mais aquela, o significado muda...é, pode ser. Mas isto não explica a raiva que ele ficou de mim !Porém, pensando bem, eu fiquei parada como uma estátua e deixei eles fazerem troça dele, não o defendi, e deixei eles rasgarem o desenho precioso dele...eu não fiz nada, não protegi, e ele confiou em mim e eu...eu traí a confiança dele ! Sim, eu traí a confiança dele e ele se decepcionou comigo, eu deveria ter sido enérgica com os garotos. Quer saber? Amanhã eu vou punir a eles ! Eu deveria ter feito na hora, mas eles precisam aprender que não podem mexer com o Damian !
Ela finalmente chegou em casa e foi recebida por seu cachorrinho da raça Jack Russel terrier.
-Bingo, oi, meu amor, mamãe chegou !
Bingo, abanando a causa a recebeu efusivamente com sua festinha frenética.
Ela então tomou um banho, preparou e devorou seu jantar e depois de assistir um pouco de televisão, foi dormir.
E ao dormir, Adora sonhou.
Sonhou que estava numa campina enorme, sob um céu azul e sol brilhante, e que havia uma pequena colina onde havia uma única arvore. Mais distante, ‘a esquerda, havia outro morro, onde erguia-se solitário, um solitário Girassol em meio a um mar de roseiras.
Quando olhou de novo na direção da flor solitária, Damian estava lá, e, curiosamente, acariciava a grande flor como se esta fosse um ser humano. Parecia inclusive falar com ela baixinho, numa linguagem que ela não conseguia decifrar.
Ela então decidiu ir até ele, mas tinha de atravessar o roseiral, e os espinhos das rosas machucavam suas pernas e pés a ponto de sangrarem.
Foi com imenso esforço e dificuldades, e em meio a muita dor também, que ela finalmente conseguiu chegar até ela, e lhe dirigia um sorriso luminoso e um olhar meigo.
-Damian, eu não entendo, o que o Girassol tem a ver com o Autismo? Por que você gosta tanto dele?


(Por continuar)

Um comentário:

  1. Saiba q meu filho teve uma fase q era fissuras por girassol.

    ResponderExcluir